Azul prevê demanda em 40% no fim do ano e vida normal só em 2022

SP não seguirá decreto sobre academias e salões de beleza, diz Doria
13 de maio de 2020
Presidente do Inep afirma que ainda é cedo para adiar o Enem 2020
15 de maio de 2020
Exibir tudo

Gestão Integrada - O cenário pré-pandemia continua em um horizonte distante ainda para as companhias aéreas. A Azul, que divulgou hoje mais cedo o balanço do primeiro trimestre, espera uma recuperação “conservadora” da demanda para cerca de 40% dos níveis pré-crise até o fim de 2020.

Notícias - A expectativa de relativa normalidade está em um futuro dentro de 18 a 24 meses “Temos diversos cenários e um tipo de reação para cada um deles, mas esse é o que consideramos possível nesse momento”, afirmou Alexandre Malfitani, vice-presidente de finanças e relações com investidores. “Sempre foi difícil prever o futuro no Brasil. Mas, atualmente, dezembro parece daqui cinco anos.”

Transporte de Fármacos - Enquanto isso, a empresa acredita que sofrerá com uma queima de caixa de 3 milhões de reais a 4 milhões de reais ao dia durante os meses de maio e junho, após ter encerrado março com 3,1 bilhões de reais em caixa, para uma dívida bruta total de 20 bilhões. O total das responsabilidades subiu 33% na comparação com dezembro em função do efeito da alta do dólar sobre o estoque dos compromissos.

Gerenciamento de Risco - “Nosso chairman [o fundador David Neeleman] está mais otimista do que nunca. Mas preferimos adotar uma postura conservadora. Faremos o que for necessário para levar a Azul até o outro lado dessa crise”, afirmou John Rodgerson, presidente da companhia durante teleconferência com analistas. Essa foi a única menção ao fundador, que no mês passado permitiu que uma execução de garantias, no valor de 30 milhões de dólares, resultasse na venda de quase toda sua posição em ações preferenciais da empresa. “Nós criamos esse negócio e vamos superar essa situação.”

Omnitrans - Rodgerson afirmou que haverá grande esforço para que a empresa alcance o “break even”, ou seja, pare de queimar recursos com a operação, mas não forneceu um prazo exato para tanto. Segundo o executivo, esse ponto dependerá de uma série de variáveis, incluindo demanda dos clientes e a operação com o BNDES, que poderá fornecer recursos para as empresas do setor. “O mundo não será ‘infinanciável’ para sempre.”

Home - Ao longo deste mês, o plano da empresa é realizar uma média de 115 voos diários, com 20 aviões, para 38 destinos. A frota contratada total é de 167 aeronaves, sendo que 140 estavam operacionais ao fim de março. Sobre junho, Rodgerson afirmou que ainda não é possível saber qual será o total de voos. “Gostaríamos de chegar a 140. Vamos experimentar mais e mais a cada semana, mas é a demanda que vai ditar.”

Frota - Nesse momento, 120 aviões estão estacionados e a empresa disse estar desenvolvendo um plano para readequar o tamanho de sua infraestrutura. Da dívida bruta total, 16,5 bilhões de reais estão relacionados a arrendamentos ou subarrendamentos de aviões.

Tecnologias - A Azul apresentou ao mercado uma série de medidas que está promovendo para tentar reequilibrar as suas contas. Entre elas, adiou a entrega de 59 aeronaves da Embraer previstas para serem recebidas entre este ano e 2023 apenas para 2024.

Prejuízo explosivo

Carga Química Embalada - O balanço do primeiro trimestre deste ano, afetado pela pandemia apenas em meados de março, aponta que se não fosse o coronavírus o setor continuaria em expansão. A receita líquida da empresa teve alta de 10,3%, para 2,8 bilhões de reais. Contudo, a crise iniciada no fim do mês e a variação cambial sobre os custos fizeram o Ebitda recuar 9,7%, para 654,2 milhões de reais.

Carga Refrigerada - A Azul teve prejuízo de 6,136 bilhão de reais nos três primeiros meses do ano, comparado a um lucro de 125,3 milhões de reais em igual período de 2018. A última linha do balanço foi fortemente afetada pela valorização do dólar, uma vez que os compromissos das empresas do setor são em sua maioria em moeda estrangeira.

Gestão Integrada - As despesas financeiras somaram 5,9 bilhões de reais de janeiro a março, ante 230 milhões no ano anterior. Desse total, 4,2 bilhões são relacionadas à variação cambial sobre o estoque da dívida.

Trânsito Aduaneiro -

Fonte: https://exame.abril.com.br/exame-in/azul-preve-demanda-em-40-no-fim-do-ano-e-vida-normal-so-em-2022/

Os comentários estão encerrados.