Governo grego assume disposto a fortalecer a economia

Reinauguração do Terminal Paulínia da Gelog
9 de julho de 2019
10/07 – Aniversário Pindamonhangaba
10 de julho de 2019
Exibir tudo

Gerenciamento de Risco - O novo governo conservador grego tomou posse nesta terça-feira, assegurando que agirá imediatamente para fortalecer a frágil economia do país, embora saiba que não terá um “período de carência” e que a UE irá monitorá-lo de perto.

Drogas & Bebidas Alcoólicas - Em uma cerimônia religiosa, os 51 membros do Executivo tomaram posse no dia seguinte do novo primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis, vencedor com maioria absoluta das legislativas de domingo.

Responsabilidade Social - O governo da Nova Democracia substitui o de esquerda radical do Syriza, liderado por Alexis Tsipras. Ele inclui diversos tecnocratas, poucas mulheres e dois ex-dirigentes de extrema direita.

Responsabilidade Social - Um deles deu o tom da urgência com a qual o governo quer fortalecer a economia. Ela cresceu 1,9% no ano passado, mas após uma década de crise continua afligida por dois recordes ruins na zona do euro: de desemprego (19,2%) e de dívida pública (180% do PIB).

Gerenciamento de Risco - “Não pedimos período de graça, queremos que nos julguem duramente pelos resultados de nossa política”, afirmou Adonis Georgiadis, ministro de Desenvolvimento e Investimentos.

Transporte de Fármacos - “O crescimento não chega magicamente, o crescimento se cria” através do “clima adequado”, segundo ele.

Drogas & Bebidas Alcoólicas - O Banco da Grécia prevê novamente para este ano uma expansão do PIB de 1,9%.

Convencer Bruxelas

Carga Excedente - Mitsotakis prometeu um autêntico plano de choque, que consiste em reduzir impostos – IVA, sobre empresas (de 28% para 20% em dois anos), bens, imóveis e renda – e atrair investimentos para setores cruciais, como infraestrutura e turismo.

Contato - “Haverá reformas essencialmente estruturais. Temos que reduzir os impostos (…), tornar a Grécia atraente para investidores, investir na educação, estimular talentos, na economia digital. E temos que informatizar o Estado grego”, enumerou, em entrevista ao semanário francês L’Obs.

Gestão Integrada - O grande problema de Mitsotakis é que ele deverá compatibilizar esta promessa de reduzir a pressão fiscal com uma exigência contraditória de seus sócios europeus e credores: manter as finanças públicas amplamente superavitárias.

Gelog - Os alertas chegaram ao primeiro-ministro imediatamente. Um deles foi pelo pelo diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MES), Klaus Regling, encarregado de ajudar os países da zona do euro que enfrentam dificuldades financeiras.

Drogas & Bebidas Alcoólicas - Segundo ele, a exigência de um superávit fiscal primária de 3,5% do PIB até 2022 “é uma pedra angular do programa de ajuda” a Atenas, concluído em agosto de 2018, mas que prevê um período prolongado de vigilância das finanças gregas.

Gerenciamento de Risco - Kyriakos Mitsotakis tem diante de si uma difícil negociação.

Frota - Embora confie em sua imagem de reformador e na esperada ajuda dos parceiros conservadores da Europa – como a chanceler alemã Angela Merkel, com quem se reunirá em Berlim no fim de agosto, anunciou nesta terça o Executivo grego.

Contato - “Ao priorizar as reformas e os investimentos, o programa claro e o pragmatismo da Nova Democracia rejuvenescerão a economia grega, facilitarão a criação de emprego e trarão prosperidade”, opinou o presidente do Partido Popular Europeu, Joseph Daul.

Tecnologia da Informação - O novo ministro de Finanças, Christos Staikouras, admitiu nesta terça que “os problemas em aberto são muitos e variados”.

Segurança - Ele assumiu o compromisso de “manter as coisas positivas que foram feitas em anos passado e construir sobre isto”.

Carga Química Embalada - A promessa encontra eco nas ruas de Atenas, onde a incipiente recuperação econômica é desigual. Prédios degradados e empobrecidos convivem com esplendorosos bares de moda.

Serviços - Em sua empresa de produtos orgânicos aberta há dois meses em Chalandri, subúrbio de classe média no norte da capital, Julie Sakarisianou defende a decisão do governo anterior de reduzir drasticamente o IVA sobre produtos básicos de 24% para 13%.

Trabalhe Conosco - “Gostaria que o IVA continuasse a 13%, para que tenhamos trabalho”, opinou à AFP, exibindo suas prateleiras repletas de arroz, lentilhas, azeite de oliva e mel.

Fonte: https://exame.abril.com.br/economia/governo-grego-assume-disposto-a-fortalecer-a-economia/

Os comentários estão encerrados.