Líder opositor se declara presidente interino da Venezuela

Após impasse, Bolsonaro confirma Vilalva na presidência da Apex
11 de janeiro de 2019
Toffoli libera Doria para contratar professores temporários em SP
13 de janeiro de 2019
Exibir tudo

Juan Guaidó pediu apoio do povo venezuelano, dos militares e da comunidade internacional

Segurança - Por
Estadão Conteúdo

Trabalhe Conosco -
access_time

11 jan 2019, 21h00

Qualidade - São Paulo – Em um pronunciamento em Caracas transmitido pelo Twitter, o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se declarou presidente interino do país nesta sexta-feira. “Ninguém tem dúvidas de que Maduro é um usurpador. Por isso, assumo minha responsabilidade com o povo da Venezuela, me dirijo a vocês para plantar a rota da AN pela liberdade (#ANRutaPorLaLibertad)”, escreveu.

Paulista - Guaidó disse estar se respaldando nos artigos 233, 333 e 350 da Constituição para “convocar eleições livres” em 23 de janeiro e pediu apoio do povo venezuelano, dos militares e da comunidade internacional.”A Constituição me dá legitimidade para exercer o cargo da Presidência da República, para convocar eleições, mas preciso do apoio dos cidadãos para tornar isso uma realidade”, disse o deputado a algumas centenas de pessoas que se concentraram no leste de Caracas para denunciar a “ilegitimidade” de Nicolás Maduro.

REDEX - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, apoiou nesta sexta-feira a decisão do deputado opositor. Guaidó é presidente da Assembleia Nacional, eleita em 2016,controlada pela oposição e não reconhecida pelo chavismo.

Gerenciamento de Risco - “Celebramos a posse de Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, conforme o artigo 233 da Constituição. Tem o nosso apoio, o da comunidade internacional e do povo da Venezuela”, disse Almagro em uma postagem no Twitter, em que reproduzia o post da Assembleia Nacional venezuelana.

Infraestrutura - As duas manifestações provocaram uma nova crise no país e despertaram o temor de que o presidente eleito, Nicolás Maduro, cumpra sua promessa de dissolver o Parlamento. No dia em que foi empossado, o líder chavista ameaçou dissolver a Assembleia Nacional caso ela promova “um golpe de Estado”. Segundo ele, a Assembleia Nacional Constituinte (ANC) “atuará contra a Assembleia Nacional se eles tentarem um golpe de estado”.

Fonte: https://exame.abril.com.br/mundo/lider-opositor-se-declara-presidente-interino-da-venezuela/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *