Noiva chega de caminhão a casamento em Santos: ‘É a nossa história’

Reforma tributária deve reduzir contribuição patronal a 10%, diz relator
2 de setembro de 2019
Bolsonaro diz que Brasil vai dar volta por cima e entrar no Primeiro Mundo
3 de setembro de 2019
Exibir tudo

Caminhoneiro de Mogi das Cruzes conheceu companheira com ajuda do sogro; fotógrafa de São Vicente foi responsável por registrar casamento inusitado

Contêineres e caminhões ajudaram a unir um casal de maneira inusitada. Dyana da Silva Fonseca, de 32 anos, moradora de Santos, e o caminhoneiro de Mogi das Cruzes Ed Carlos de Abreu Lourenço, de 37, fugiram do tradicional e escolheram os veículos para marcar o dia mais especial de sua história. De véu e grinalda, a noiva chamou atenção ao chegar de caminhão em uma igreja na Avenida Ana Costa. “Nosso ganha-pão e símbolo da nossa história”, afirma.

O cupido do casal foi o pai da noiva, que começou a trabalhar em uma empresa de transportes em Santos, sendo um dos primeiros funcionários. Vindo do interior paulista, Ed Carlos foi contratado no mesmo ano e, por não conhecer a cidade, acabou se aproximando do atual sogro. “Meu pai falava muito dele, que era um bom pretendente para mim. Fiquei curiosa na época e quis conhecê-lo”, lembra Dyana.

A noiva conta que conheceu o esposo em 2012, mas, mesmo com as frequentes conversas por meio das redes sociais, o namoro não engatou. Foi em uma celebração de fim de ano da empresa, em 2014, que os dois se aproximaram e o romance começou. “Não nos desgrudamos mais”, comenta.

Dyana brinca que a casa de Ed era seu próprio caminhão, e já no começo do namoro ele foi morar com a namorada e sua família em Santos. A ausência do companheiro durante viagens distantes nunca foi um problema para a enfermeira, pois estava acostumada com a ausência do pai enquanto trabalhava.

Mais de quatro anos depois, o casal disse ‘sim’ em cima do altar. O casamento aconteceu no último sábado (31), na Paróquia Imaculado Coração de Maria, em Santos. Diferente das demais noivas, ela trocou o tradicional carro pelo caminhão.

“A ideia veio do meu pai, que me perguntava o porquê de não tirar as fotos com o caminhão. Na época, eu já achava que fosse possível. Falavam que éramos loucos, mas ficaram surpresos com o resultado”, relata.

Registro

A responsável por captar a essência do casamento foi uma fotógrafa de São Vicente. Por trás das lentes, Nayara Andrade ganhou destaque ao clicar noivos que utilizaram até caminhão dos bombeiros. Logo, a ideia de representar a história de Dyana e Ed com caminhões foi incentivada pela profissional.

“Sempre propomos que o casal mantenha a identidade dele. Receber a ideia do ensaio com caminhões foi algo surreal. Quem imaginaria que um ensaio dentro de um depósito ficaria tão bonito? É transformar rotina em arte”, explica Nayara

Fonte: A Tribuna

Os comentários estão encerrados.